Vivo adere ao Programa Celular Seguro e amplia bloqueio de linhas de telefones roubados

10

Desde segunda-feira (dia 27), data da confirmação da adesão, mais de 100 chips foram bloqueados

A operadora Vivo agora integra o Programa Celular Seguro, passando a bloquear as linhas de telefones roubados a partir de alertas emitidos pela plataforma. Esta medida tem como objetivo inutilizar o chip dos aparelhos das vítimas, impedindo que criminosos os utilizem em novos dispositivos para clonar WhatsApp e redes sociais, e assim, aplicar golpes financeiros.

Desde segunda-feira (dia 27), data da confirmação da adesão, mais de 100 chips foram bloqueados, conforme informado por Tiago Machado, diretor de Relações Institucionais da Vivo. Além da Vivo, as operadoras Claro e Tim já participam do programa, realizando o bloqueio das linhas a partir dos alertas do Celular Seguro. Os aplicativos bancários instalados nos aparelhos também são bloqueados, garantindo a preservação das informações das vítimas e evitando golpes.

“Com a integração da Vivo, corrigimos uma das principais falhas do Programa Celular Seguro, que ainda não contava com a operadora por incompatibilidade dos sistemas utilizados. A partir de agora, teremos mais adesões e os usuários contarão com uma ferramenta mais completa, confiável e segura”, afirmou Manoel Carlos de Almeida Neto, secretário executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), responsável pelo acordo com a operadora.

Novas ações e ampliação do programa

Para aumentar o escopo do Programa Celular Seguro, está sendo incorporado um protocolo de rastreamento e recuperação de telefones móveis desenvolvido no Piauí. As empresas de telefonia informarão o local e aparelho onde uma nova linha foi habilitada.

Caso haja um registro de furto ou roubo, o receptador será intimado via WhatsApp a comparecer a uma delegacia para esclarecer a situação. A ausência da nota fiscal do aparelho resultará na entrega do telefone às autoridades, que o devolverão aos legítimos proprietários.

Dados da Secretaria de Segurança Pública piauiense revelam que, no primeiro trimestre de 2024, comparado ao mesmo período do ano passado, houve uma redução de 44% nos roubos de celulares e 18% nos furtos, enquanto o índice de recuperação de aparelhos aumentou 139%.

Como funciona?

O Celular Seguro já conta com mais de 2 milhões de cadastros de usuários. A plataforma permite o registro de celulares via site ou aplicativo, disponíveis na Play Store (Android) e App Store (iOS). Os usuários podem bloquear o aparelho, a linha (chip) e aplicativos digitais em poucos cliques.

A ferramenta também permite que pessoas de confiança indicadas pelo titular efetuem os bloqueios, caso o dono do celular seja roubado, furtado ou extravie o aparelho. Após o registro de perda, roubo ou extravio, bancos e instituições financeiras que participam do projeto bloqueiam as contas associadas. O desbloqueio não é oferecido pelo Celular Seguro; se o usuário recuperar o telefone após emitir um alerta, deve solicitar os acessos novamente junto às operadoras e bancos, conforme procedimentos descritos nos termos de uso.

Artigo anteriorIGP-M: índice usado no reajuste do aluguel sobe 0,89% em maio
Próximo artigoVeja perguntas mais comuns no Google sobre o Imposto de Renda