Vinho de R$ 1.650: por que o Pêra-Manca, vinho que viralizou no TikTok, é tão caro?

Vinho foi comprado por amigos durante jantar. Para eles, bebida custava R$ 165, mas acabaram se surpreendendo com o preço

11
Pêra-Manca tinto safra 2018 (esq.); Pêra-Manca tinto safra 2015 (dir.) — Foto: Divulgação/Adega Cartuxa

Um simples jantar se tornou um pesadelo quando a conta chegou. Quatro amigos que haviam saído para jantar em um restaurante de Salvador comeram e se divertiram, mas levaram um susto ao ver o preço final do banquete: R$ 4.512,09.

O motivo? O grupo, que acreditava estar consumindo um vinho de R$ 165, estava, na verdade, bebendo o famoso português Pêra-Manca. Os amigos chegaram a consumir uma segunda garrafa e só souberam o preço na hora de pagar.

O segredo para o valor tão alto do vinho está em sua produção detalhada e na exclusividade. O Pêra-Manca branco é fabricado pela adega Cartuxa, de Portugal, com uvas selecionadas das castas — isto é, o tipo do fruto utilizado para fazer a bebida — Antão Vaz e Arinto. Neste processo, as uvas escolhidas vêm de vinhedos mais antigos, os quais possuem produção mais limitada — contribuindo para aumentar o sabor, a exclusividade e o preço do produto.

Ao serem armazenadas, as uvas são separadas em dois locais diferentes, tornando a fabricação ainda mais complexa. Enquanto a casta Arinto e parte da Antão Vaz são depositadas em aço inox, o restante da Antão Vaz é armazenado em carvalho francês.

Além do processo lento e inundado de detalhes, a produção é limitada. O Pêra-Manca tinto, por exemplo, que é mais raro que o branco, teve sua última edição lançada em 2021, quando chegou aos mercados a safra de 2015.

Em entrevista ao GLOBO na época do lançamento, João Teixeira, diretor comercial da Adega Cartuxa, afirmou que somente 44 mil garrafas haviam sido produzidas — um número limitado em comparação com a demanda de mercado do vinho. Deste montante, 60% ficou em Portugal e o resto foi dividido para o mercado internacional.

Os apaixonados por vinho aguardam a chegada do Pêra-Manca tinto safra 2018, que deve ser lançado no último trimestre de 2024.

De acordo com a Adega Cartuxa, o vinho só é divulgado ao público quando cumpre requisitos “de excepcional qualidade”. Ainda segundo a produtora, o Pêra-Manca tinto da safra 2018 ficou armazenado por 18 meses em tonéis de carvalho francês e passou quatro anos engarrafado nas caves do Convento da Cartuxa.

Artigo anteriorTrabalhadores da Samsung declaram greve por tempo indeterminado, colocando em risco tecnologia global
Próximo artigoEstados consideram projeto de Pacheco sobre dívida um avanço, mas há disputa sobre fundo