Tradição romana renascida em Santa Luzia (PB): produção de vinhos na talha 

178

Inovação e tradição se encontram no Sertão paraibano com a produção de vinho na talha.

No coração do sertão paraibano, a cidade de Santa Luzia está prestes a se destacar na produção de vinhos na talha, uma técnica ancestral que remonta aos tempos romanos. Essa iniciativa inovadora é liderada por Kleyber Araújo, da Casa Werniaud, um dos pioneiros na vitivinicultura da Paraíba, que já deixou sua marca na cidade de Natuba, localizada na mesorregião do Agreste do estado. Após um estudo minucioso do solo e da água do município, Araújo percebeu que Santa Luzia oferecia condições ideais para a produção de vinhos finos e elegantes, utilizando esse tradicional método romano.

A tradição milenar da produção de vinho na talha

A produção de vinho na talha é uma técnica ancestral que utiliza grandes ânforas de barro, conhecidas como talhas, para a fermentação e armazenamento do vinho. Este método confere características únicas ao vinho, diferenciando-o dos produzidos por métodos modernos. Em Santa Luzia, Casa Werniaud destinou dois hectares para a plantação de sete tipos diferentes de uvas, aproveitando também a tradição local na produção de cerâmicas para fabricar as talhas.

Processo de Produção

O processo começa com a colheita manual das uvas, que são cuidadosamente selecionadas para garantir a qualidade do produto final. As uvas são então colocadas nas talhas, onde são maceradas com os caroços por 45 dias para fermentarem. Após esse período, o mosto é prensado e o líquido transferido para outra talha, onde permanece por mais 45 dias para apurar seu sabor e aroma.

Características dos vinhos na talha

Os vinhos produzidos na talha são conhecidos por seu perfil aromático complexo e por uma textura única. O barro das talhas permite uma micro-oxigenação natural do vinho, que contribui para a suavização dos taninos e para o desenvolvimento de aromas e sabores mais profundos. Além disso, a ausência de intervenção química e a utilização de técnicas naturais de vinificação resultam em vinhos que expressam de forma autêntica o terroir de onde provêm.

Preservação da tradição

Nos últimos anos, tem havido um crescente interesse pela produção de vinho na talha, tanto por parte de produtores como de consumidores. Este renascimento é impulsionado por uma busca por métodos de produção mais sustentáveis e por um desejo de resgatar tradições vitivinícolas ancestrais. Em 2010, a produção de vinho na talha foi reconhecida como Patrimônio Cultural Imaterial de Interesse Municipal em Portugal, o que ajudou a promover e a preservar esta prática.

Desafios e futuro

Apesar do crescente interesse, a produção de vinho na talha enfrenta vários desafios. A produção em pequena escala e a natureza artesanal do processo limitam a quantidade de vinho que pode ser produzido, o que pode dificultar a sua comercialização em larga escala. Além disso, a manutenção das talhas e a necessidade de conhecimento especializado para a sua utilização representam barreiras adicionais.

No entanto, muitos produtores estão comprometidos em preservar esta tradição e em explorar novas formas de integrar a produção de vinho na talha no mercado contemporâneo. A combinação de técnicas ancestrais com inovações modernas oferece um caminho promissor para a continuidade desta prática milenar. Com o crescente interesse por métodos de produção sustentáveis e por vinhos que expressam de forma genuína o seu terroir, o futuro da produção de vinho na talha em Santa Luzia pela Casa Werniaud parece promissor.

Fonte: Instagram Haryanne Arruda e Casa Werniaud

Artigo anteriorJoão Pessoa tem a segunda maior valorização imobiliária; veja rankings
Próximo artigoGrupo Tauá apresenta evolução das obras do resort no Polo Turístico Cabo Branco
Redação
O Paraíba Business é um portal de notícias profissional focado em economia e negócios, independente e não partidário. Seu propósito é produzir conteúdos relevantes e se aproximar ao máximo da verdade dos fatos para informar e contribuir com nossos leitores de maneira transparente.