Taxa de juros do rotativo do cartão de crédito cai para 422,5% ao ano em maio

Em termos práticos, essa taxa significa que uma dívida no cartão de crédito pode crescer significativamente se não for paga integralmente na data de vencimento

30
Juros cartão de crédito (Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

A taxa média de juros do rotativo do cartão de crédito apresentou queda em maio, conforme dados divulgados pelo Banco Central. Após dois meses consecutivos de aumento, a taxa anual ficou em 422,5%, diminuindo 0,9 ponto percentual em comparação a abril, quando estava em 423,4%. Esses números foram publicados nas Estatísticas Monetárias e de Crédito nesta quarta-feira (26).

Em termos práticos, essa taxa significa que uma dívida no cartão de crédito pode crescer significativamente se não for paga integralmente na data de vencimento. Por exemplo, uma dívida de R$ 800 acumulada há um ano poderia resultar em um pagamento adicional de R$ 3.380, totalizando uma dívida de R$ 4.180.

Em dezembro do ano passado, o Conselho Monetário Nacional estabeleceu um limite de 100% para as taxas de juros do rotativo, após a aprovação de uma lei pelo Congresso Nacional. A medida entrou em vigor este ano e se aplica a dívidas contraídas a partir de janeiro, significando que o valor total, incluindo juros e encargos, não pode exceder o dobro do valor da dívida original.

Embora os dados divulgados pelo Banco Central sugiram que os bancos possam estar descumprindo a legislação, trata-se apenas de um registro estatístico. A taxa anual é calculada extrapolando a taxa mensal cobrada pelas instituições financeiras ao longo do ano.

Além do rotativo do cartão de crédito, os juros do cheque especial também apresentaram queda em maio, chegando a 128,4% ao ano, o que representa uma redução de 2 pontos percentuais em relação ao mês anterior. Em contraste, o crédito consignado, que desconta diretamente da folha de pagamento, registrou taxa de 23,2% ao ano, com uma leve redução de 0,2 ponto percentual.

Essas variações nas taxas de juros refletem os movimentos do mercado financeiro e têm impacto direto sobre o custo do crédito para os consumidores, influenciando suas escolhas entre diferentes modalidades de empréstimo disponíveis.

Artigo anteriorMercado Financeiro: Dólar e Euro se valorizam e Ibovespa tem leve queda
Próximo artigoEmpresas adotam tecnologia BIM para reduzir falhas e custos
Redação
O Paraíba Business é um portal de notícias profissional focado em economia e negócios, independente e não partidário. Seu propósito é produzir conteúdos relevantes e se aproximar ao máximo da verdade dos fatos para informar e contribuir com nossos leitores de maneira transparente.