Salário-maternidade: INSS aciona AGU após publicidade de influenciadores nas redes sociais sobre benefício

13

Instituto recomenda que seguradas que necessitem de auxílio profissional devem buscar ajuda de um advogado ou advogada devidamente registrada na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB)

Após viralizarem nas redes sociais publicações feitas por influenciadores divulgando uma empresa que oferece assessoria para retirada do salário-maternidade, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) acionou a Procuradoria Federal Especializada, vinculada à Advocacia-Geral da União (AGU), para que “tome as providências que julgar necessárias”.

No ano passado, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) alertou que a única forma legal e correta de entrar com o pedido do benefício é pelo aplicativo ou site do Meu INSS. O órgão observa que canais não oficiais devem ser vistos com desconfiança porque podem representar “risco à segurança de dados do cidadão”.

Além disso, o INSSo recomenda que seguradas que necessitem de auxílio profissional devem buscar ajuda de um advogado ou advogada devidamente registrada na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

“O INSS não utiliza intermediários para concessão de quaisquer benefícios. Todos são gratuitos e podem ser acessados por meio do aplicativo ou site Meu INSS e pela Central de Atendimento 135”, diz o instituto, em nota.

O que é?

O salário-maternidade é um benefício garantido às seguradas do INSS, ou seja, quem contribui para a Previdência Social, em caso de afastamento da função por parto, aborto, adoção ou guarda judicial para fins de adoção.

Como entrar com pedido?

Entre no site ou aplicativo Meu INSS;

Clique no botão“Novo Pedido”;

Digite “salário-maternidade urbano” ou “salário-maternidade rural;

Na lista, clique no nome do serviço/benefício;

Leia o texto que aparece na tela e avance seguindo as instruções;

O pedido será analisado e, para acompanhar o andamento, o interessado ou a interessada podem acessar o Meu INSS (aplicativo ou site) ou ligar para o telefone 135.

 

Artigo anteriorGoverno prevê salário mínimo de R$ 1.502 no próximo ano
Próximo artigoSalário-maternidade: saiba como benefício funciona e o passo a passo para entrar com pedido