Relacionamentos são mais importantes que dados, defende DelPrete

27

O estrategista global e líder de pensamento em tecnologia imobiliária, Mike DelPrete, acredita que as habilidades de relacionamento são fundamentais nas transações imobiliárias. Para o especialista norte-americano, o processo decisório precisa, sim, ser baseado em dados e fatos. Entretanto, além dos números, é necessário considerar o fator humano. “O mercado imobiliário é baseado em pessoas. Um profissional bem relacionado vai fechar mais negócios do que uma empresa cheia de dados mercadológicos. Os corretores estão no centro das transações, incontestavelmente”, reforça.

DelPrete esteve pela primeira vez no Brasil neste mês, para participar do CUPOLA Summit 2024, que reuniu mais de 2 mil pessoas interessadas em pensar e construir o futuro do mercado imobiliário. O profissional salienta que as decisões relacionadas a imóveis envolvem emoções, necessidades, tempo e dinheiro. “Negociar um imóvel não é como alugar um filme, as pessoas não adquirem casas todo final de semana”, compara. Desta maneira, poder contar com alguém de confiança é fundamental. 

O especialista ainda conta que a importância do fator humano ficou bastante evidente nos EUA, onde a divisão de comissões entre corretores e imobiliárias se tornou polêmica. “O cenário era de 90% para o corretor e 10% para a imobiliária, uma divisão de comissões desproporcional e insustentável para a operação”, explica. Para as imobiliárias, essa estratégia foi adotada como forma de conquistar os melhores profissionais do mercado.

Em relação às inovações e tecnologias mais promissoras à área, o estrategista global desenvolveu o “Paradoxo de Probabilidade de DelPetre”. De acordo com ele,  quanto mais improvável algo parece, mais atenção ele recebe. “Hoje, as pessoas falam sobre a inteligência artificial substituir o corretor de imóveis, mas acredito que seja apenas hype, uma ideia grandiosa, mas infundada”, ressalta. Segundo o especialista, devemos ignorar conjecturas sensacionalistas e nos concentrar no trabalho.

DelPetre ainda acrescenta que empresas e profissionais devem resolver os problemas dos clientes, e não apenas pensar em lucros. “Acredito que a grande oportunidade do mercado imobiliário está em resolver o problema da acessibilidade”, conclui.

Fonte: Imobi Report

Artigo anteriorReinvenção e resiliência: como Oldaque Júnior transformou a JR Esquadrias em referência no mercado 
Próximo artigoParaíba é um dos destinos mais procurados por turistas em julho