Quatro em cada cinco empreendedores não conseguem se desconectar durante as férias

81% verificam e-mails enquanto estão fora do escritório

18
Foto: Reprodução/Freepik

Em julho, diversos profissionais aproveitam para tirar férias. Mas, embora a pausa do trabalho parece um compromisso ideal, ela também é cercada de barreiras.

Os empresários são especialmente propensos a ter dificuldade em se desligar dos seus trabalhos e relaxar nas férias, o que pode causar repercussões para sua saúde mental e satisfação profissional. Um estudo com 600 empreendedores pela Clarify Capital aponta que quase metade dos entrevistados trabalha durante suas supostas pausas.

Nishank Khanna, CMO da Clarify Capital, relata que quatro em cada cinco empresários não conseguem se desconectar do trabalho, mesmo durante as férias. “Essa conectividade incessante pode sinalizar dedicação, mas desfoca a linha entre compromisso e compulsão, arriscando o burnout.”

A pesquisa também mediu o número de dias de férias que os profissionais tiraram em comparação com sua felicidade e produtividade. Os resultados apresentaram que os mais felizes tiraram em média 10 dias no último ano. Outros dados mostram que os executivos não conseguem se desconectar completamente e não esperam que sua força de trabalho se desconecte totalmente também. Confira os destaques do estudo:

22% dos empresários não tiraram nenhum tempo de folga no ano passado;

81% verificam e-mails enquanto estão fora do escritório;

49% lidam com tarefas do escritório durante as férias, ignorando a necessidade do descanso

Seis em cada sete profissionais que verificam e-mails nas férias ainda se sentem esgotados depois de tirar uma folga. Um em cada cinco empreendedores espera que os funcionários verifiquem e-mails durante as férias. Essa expectativa vai contra o “direito à desconexão”, que pressiona por um equilíbrio entre carreira e vida.

Preocupações financeiras, culpa e medo do fracasso nos negócios são barreiras para as férias dos empresários. 72% pulam as férias devido a preocupações financeiras. Khanna diz que essa tendência expõe um quadro preocupante do sonho empreendedor — um lembrete pungente de que a liberdade financeira permanece ilusória para muitos que estão à frente de seus próprios empreendimentos.

Um em cada quatro proprietários evita as férias por culpa, possivelmente alimentada por responsabilidades percebidas com os negócios e funcionários, o que destaca o pesado pedágio emocional do empreendedorismo, observa Khanna.

Um em cada cinco empresários recusa tempo de folga devido ao medo do fracasso nos negócios. Esta descoberta mostra a fragilidade das pequenas empresas na economia de hoje, de acordo com o CMO da Clarify Capital, que destaca a necessidade de sistemas de apoio mais fortes e recursos para os empreendedores.

Segundo Khanna, o fato de que apenas 40% dos empresários priorizam o autocuidado nas férias é um achado surpreendente, que serve como um alerta para a comunidade empreendedora. Ele conclui que é imperativo equilibrar as demandas dos negócios com a necessidade de bem-estar pessoal.

Fonte: Forbes

Artigo anteriorTrem no RS oferece passeio com degustação de vinhos na fronteira com Uruguai
Próximo artigoComo é a distribuição dos 639 shoppings do Brasil por estado
Redação
O Paraíba Business é um portal de notícias profissional focado em economia e negócios, independente e não partidário. Seu propósito é produzir conteúdos relevantes e se aproximar ao máximo da verdade dos fatos para informar e contribuir com nossos leitores de maneira transparente.