Pela primeira vez, pequenas cidades nos EUA atraem mais migrantes que as grandes

4

Em 2023, cerca de 291 mil pessoas se mudaram para localidades com menos de 250 mil habitantes e áreas rurais, aponta estudo da Universidade da Virginia

As cidades pequenas dos Estados Unidos registraram mais imigração em 2023 do que as áreas maiores pela primeira vez em décadas.

O boom do trabalho remoto, que fez com que os americanos fugissem das áreas urbanas para os vilarejos nas montanhas e cidades litorâneas durante a pandemia, continuou pelo menos até o ano passado, de acordo com o demógrafo Hamilton Lombard, da Universidade da Virgínia.

Estima-se que, no ano passado, 291.400 pessoas migraram de outras áreas para as pequenas cidades e áreas rurais dos Estados Unidos, que Lombard define como áreas metropolitanas com 250.000 habitantes ou menos.

Esse número excedeu a migração para áreas maiores pela primeira vez desde pelo menos a década de 1970, estimou Lombard, que trabalha com o Demographics Research Group da universidade.

As áreas com 250 mil a 1 milhão de habitantes tiveram uma migração líquida de 266.448 pessoas no ano passado, enquanto as áreas com 1 milhão a 4 milhões de habitantes registraram apenas um ganho modesto.

As áreas com mais de 4 milhões de habitantes foram as grandes perdedoras, perdendo quase 600.000 pessoas no ano passado, de acordo com a pesquisa da Lombard usando dados do US Census Bureau.

“Com um terço dos dias de trabalho sendo feito remotamente em 2023, os americanos têm mais flexibilidade geográfica e estão cada vez mais dispostos a se mudar para longe dos grandes centros populacionais se o destino oferecer uma boa qualidade de vida”, escreveu Lombard.

O estudo se concentra apenas na migração dentro do país e não inclui a imigração de fora dos EUA.

Artigo anteriorApós chuva no RS, governo vai importar 1 milhão de toneladas de arroz para evitar alta de preços
Próximo artigoGoverno fará leilões de compra de arroz do Mercosul, afirma presidente da Conab