Gestão de parques do Recife por 30 anos rende contrato de até R$ 1 bilhão

19
Um dos principais parques do Recife, o Dona Lindu, em Boa Viagem, na Zona Sul, tem projeto arquitetônico assinado por Oscar Niemeyer.

Empresa privada vai administrar quatro parques do Recife. A experiência pode ser inspiradora para outras cidades, inclusive João Pessoa.

A Viva Parques do Brasil foi a vencedora da licitação promovida pela Prefeitura do Recife e o BNDES para concessão da prestação dos serviços de gestão, operação e manutenção dos parques da Jaqueira Governador Joaquim Francisco, na Jaqueira; Santana Ariano Suassuna, em Santana; Apipucos Maximiano Campos, em Apipucos; e Parque Dona Lindu, em Boa Viagem. O contrato terá vigência de 30 anos. A confirmação aconteceu nesta sexta-feira (5/7), na sede da Bolsa de Valores de São Paulo (B3). A previsão de investimentos é de R$ 45 milhões nos primeiros cinco anos e de até R$ 1 bilhão ao longo da operação.

A Viva Parques do Brasil tem como principais sócios José Augusto Aragão, cofundador da Armac – referência nacional em locação e desenvolvimento de projetos de fornecimento e gestão de operações contínuas com máquinas e equipamentos, cujo faturamento em 2023 foi de R$ 1,5 bilhão –, e Daniel Silvany Tavares, ex-diretor da Armac.

Para a operação na capital pernambucana foi criada a SPE (Sociedade de Propósito Específico) Viva Parques Recife. De acordo com José Augusto Aragão, o objetivo da empresa é administrar parques urbanos e naturais (municipais, estaduais e federais) em todo o país.

“Queremos ser reconhecidos como a empresa que transforma parques em refúgios de paz e alegria, essenciais para a qualidade de vida das pessoas. E estamos muito felizes por começar pelo Recife”, diz. “Os recifenses têm uma relação afetiva muito particular com cada um desses parques e queremos contribuir de verdade para que esse pertencimento só cresça”, complementa.

A Viva Parques Recife terá como diretor-geral o sócio Daniel Silvany Tavares. Ele reforça que a SPE já começa a operar trazendo no seu DNA a cultura, um dos pilares da operação, juntamente com lazer e esportes, que também terão um incremento significativo.

Daniel revela que ele e o sócio têm uma relação muito próxima com as artes cênicas. José Augusto Aragão é fundador do Instituto Brasileiro de Teatro (iBT), organização sem fins lucrativos que, a partir de uma governança inovadora, trabalha para que o teatro seja acessível ao maior número de brasileiros. “Então, para nós, foi natural investir no Recife, cidade em que um dos parques – Dona Lindu – já tem um teatro e uma galeria de artes instalados e funcionando”, ratifica.

Tavares acrescenta que, além dos investimentos necessários em infraestrutura, modernização e manutenção, outro foco da Viva Parques será a ampliação da oferta de eventos culturais e esportivos, aproveitando o potencial de cada parque e observando suas peculiaridades.

A licitação

A Viva Parques do Brasil venceu licitação e bateu martelo na Bolsa de Valores de São Paulo (B3). Foto: Cauê Diniz/Divulgação

O edital para concessão da prestação dos serviços de gestão, operação e manutenção de Parques Urbanos no Município do Recife/PE, bem como a execução de obras e serviços de engenharia, foi lançado em 25 de março passado. O leilão foi realizado em dois blocos (A e B), na sede da B3, em São Paulo. O Bloco A era composto pelos parques Jaqueira, Santana, Apipucos e o Bloco B pelo Dona Lindu.

A estratégia da Prefeitura e do BNDES, com a divisão em dois blocos, teve como objetivo fortalecer a vocação regional de cada unidade e captar mais investimentos. Os blocos foram leiloados em sessões diferentes. O critério para seleção do concessionário foi o maior valor de outorga fixa, que é a quantia a ser paga pelos vencedores ao poder público. A Viva Parques sagrou-se vencedora nos dois certames.

Parques do Recife

Parque da Jaqueira: uma das mais disputadas áreas verdes do Recife, com belo jardim de Burle Max em torno de sua Capela de Nossa Senhora da Conceição das Barreiras.

O Parque da Jaqueira é um ícone urbano do Recife e tem potencial de oferecer programação para a família recifense e turistas na área de 71.552 metros quadrados.

Já o Parque de Santana, com área de 60.175 metros quadrados, possui vocação esportiva, que pode congregar toda a cidade em torno das boas práticas esportivas.

O Parque Apipucos foi recentemente reformado, abrangendo um parque infantil, um espaço para pinique, estacionamento para automóveis além da vocação ecológica, repleto de vegetação e em frente à Lagoa/Açude de Apipucos.

O Parque Dona Lindu, oferece sua beleza arquitetônica assinada por Oscar Niemeyer, com grande potencial para programação cultural, abrindo espaço para debates sobre sustentabilidade.

Um dos principais parques do Recife, o Dona Lindu, em Boa Viagem, na Zona Sul, tem projeto arquitetônico assinado por Oscar Niemeyer. Foto: Luciano Ferreira/PCR

A Viva Parques do Brasil venceu licitação e bateu martelo na Bolsa de Valores de São Paulo (B3). Foto: Cauê Diniz/Divulgação

Fonte: Movimento Econômico

Artigo anteriorCooperativismo beneficia pequenos empreendedores na região do Curimataú
Próximo artigoAcionistas da Discovery recebem US$125 milhões em acordo de fusão com a Warner Bros
Redação
O Paraíba Business é um portal de notícias profissional focado em economia e negócios, independente e não partidário. Seu propósito é produzir conteúdos relevantes e se aproximar ao máximo da verdade dos fatos para informar e contribuir com nossos leitores de maneira transparente.