Para estancar crise imobiliária, China fará estatais comprarem imóveis encalhados

Banco central do país vai liberar US$ 42 bilhões para financiar aquisição

11
Bairro inacabado e abandonado, perto de Shenyang, na província de Liaoning, na China — Foto: Andrea Verdelli/Bloomberg

No mais ambicioso pacote de resgate do setor imobiliário já lançado na, o Presidente da China anunciou nesta sexta-feira que o banco central do país vai liberar 300 bilhões de yuans (US$ 42 bilhões) para que estatais comprem imóveis encalhados.

A vice-governadora do Banco Popular da China (o BC chinês), Tao Ling, anunciou o programa em uma entrevista coletiva em Pequim nesta manhã. Os recursos serão liberados para 21 entidades governamentais, incluindo bancos e demais instituições financeiras estatais, para que comprem apartamentos que hoje estão à venda no país.

Essas entidades serão encorajadas a financiar outras estatais nas províncias chinesas, também com a finalidade de comprar imóveis encalhados “a um preço razoável”, afirmou Tao. A expectativa é que os recursos liberados representem, na ponta, US$ 69 bilhões para a compra de imóveis a taxas de juros subsidiadas.

A crise imobiliária da China tornou-se o maior obstáculo ao crescimento econômico do país, com construtoras endividadas entrando em profunda crise financeira, imóveis encalhados e atraso na entrega de novos projetos. Os preços de novas moradias em abril voltaram a registrar forte queda em abril.

Artigo anteriorMudanças em regras da Previdência podem gerar economia de R$ 550 bi em dez anos, diz estudo
Próximo artigoCom fortuna de £ 947 milhões, homem deve se tornar primeiro cigano bilionário do mundo