Olimpíadas de Paris: aluguéis de apartamentos de luxo estão até 60% mais baratos por baixa procura

9

Moradores locais que esperavam obter um grande lucro alugando seus apartamentos chiques, mas agora estão reduzindo os preços

Parisienses que esperavam aproveitar a onda de turistas para alugar seus apartamentos luxuosos a um preço premium durante as Olimpíadas estão começando reduzir as expectativas elevadas à medida que se deparam com uma demanda morna e um mercado saturado. Agências imobiliárias que anunciam os imóveis para temporada estão tendo que diminuir os preços dos aluguéis em bairros nobres da capital francesa.

‘Amante dos relógios’, caçula do mais rico do mundo vira único herdeiro sem assento em império de luxo; saiba quem é

Muito mais que dormir: Cinco hotéis ao redor do mundo onde o hóspede pode vivenciar o passado e o presente

“A oferta está lá, mas não temos tanta demanda quanto esperávamos”, diz Omar Meniri, chefe de aluguéis de Paris na imobiliária de luxo Engel and Völkers. “Infelizmente, no momento, não está à altura do que eu esperava”.

Não são apenas os corretores que estão decepcionados com a hype exagerada. Muitos proprietários excessivamente ansiosos anunciaram seus apartamentos com preços de três a quatro vezes mais caros que a diária média, mas depois se depararam com poucas pessoas estavam dispostas a pagar.

Paris 2024: saiba como economizar em viagem para as Olimpíadas

Nathalie Garcin, co-presidente da empresa imobiliária Emile Garcin, conta que cortou os preços na metade do que os proprietários inicialmente buscavam, ao mesmo tempo em que se tornou mais seletiva sobre o que anuncia.

“Estamos apenas aceitando apartamentos muito bonitos que estejam em perfeitas condições”, diz Garcin, citando a exigência de itens como roupas de cama novas e decorações de bom gosto. “Estamos negociando com os proprietários sobre como definir os preços”, acrescenta.

As residências de alto padrão, com 100 metros quadrados, estão atualmente pedindo cerca de 10 mil euros por semana, segundo dados de empresas imobiliárias. Alguns imóveis estavam sendo alugados por até 20 mil a 30 mil euros até alguns meses.

Agora, dois terços do total de noites disponíveis para alugar em apartamentos de quatro e cinco quartos em Paris durante os Jogos Olímpicos ainda estão disponíveis, de acordo com a fornecedora de dados de aluguel de curto prazo AirDNA.

Na agência de luxo Barnes, só 10% a 20% do portfólio de imóveis para as Olimpíadas foram alugados, com a maioria das reservas finalizadas em janeiro.

“Estamos vendo uma grande desaceleração”, diz Benjamin Brjost, diretor de aluguel de temporada para a região de Paris.

Pesquisa comprova: Receita para virar bilionário no último ano foi… nascer rico

Alguns especialistas do setor acreditam que as ofertas devem piorar, já que a maior parte dos turistas ricos que vão para Paris reservaram a hospedagem há um ano, quando compraram seus ingressos para as Olimpíadas. Também há o risco de as pessoas cancelarem as reservas se virem os preços baixando e encontrarem algo mais barato.

Christophe Ouvrieu, da empresa imobiliária Junot, colocou sua própria casa – um apartamento de 150 metros quadrados– no Airbnb em julho passado, esperando ter algum lucro durante os Jogos Olímpicos. O imóvel foi alugar para todo o período.

“Na época, as pessoas diziam que era possível alugar pelo triplo do preço normal, mas minha esposa e eu decidimos dobrar. Vimos pessoas listando a preços absolutamente loucos porque pensavam, ‘Por que não eu?'”, conta.

Para muitos proprietários de alto padrão, porém, o custo de preparar o apartamento para os turistas simplesmente não vale a pena se tiverem que baixar os preços, o que faz os especialistas especularem sobre a chance dos donos dos imóveis desistirem da ideia de alugar. .

“Esses são clientes que têm dinheiro suficiente para não precisar alugar nada”, disse Baptiste Albot, chefe de aluguéis na Emile Garcin. “Ninguém quer alugar por 5 mil euros por semana. Eles estão saindo de férias de qualquer maneira e não se importam se está alugado ou vazio”.

 

Artigo anteriorBancos Multilaterais querem ampliar financiamento em até US$ 400 bilhões em dez anos
Próximo artigoGoverno quer regulamentar teto salarial do funcionalismo, diz secretário