Nota da direção do PT defende pisos de Saúde e Educação e vinculação de aposentadorias ao salário mínimo

Partido argumenta que está sendo fabricada uma falsa crise fiscal no país

11
Presidente Lula e Ministro da Fazenda, Fernando Haddad (Foto: Foto: Ricardo Stuckert)

Em meio às discussões sobre desvinculação das aposentadorias ao salário mínimo e de alteração dos pisos de Saúde e Educação, a executiva nacional do PT nesta segunda-feira uma nota em que se posiciona contra essas alterações.

No texto, o partido argumenta que está sendo fabricada uma falsa crise fiscal no país. Especialistas alertam que os pisos, além da vinculação da Previdência ao salário mínimo, vão estrangular o Orçamento nos próximos anos.

“O que move essencialmente os ataques ao governo e à política econômica é a ganância dos que insistem em lançar sobre os ombros dos trabalhadores, dos aposentados e da maioria da população a sustentação do estado e das políticas públicas essenciais. É tirar dos pobres para manter privilégios dos ricos”, afirma o partido

“Diante deste cenário, o Partido dos Trabalhadores reafirma seu compromisso com a manutenção dos pisos constitucionais da Saúde e da Educação, da política de aumento real do salário-mínimo e sua vinculação às aposentadorias e benefícios da Previdência e Assistência Social. Sāo conquistas históricas da classe trabalhadora e da sociedade brasileira, perante as quais não cabem retrocessos”, prossegue a executiva do partido.

Artigo anteriorAssento conceito de classe executiva que combate jetlag é apresentado em feira mundial
Próximo artigoTerry Crews, de ‘As Branquelas Crews’, é o novo embaixador da Shopee