Musk ultrapassa Bezos na lista da Forbes dos mais ricos do mundo após valorização de 15% das ações da Tesla

18

Fortuna do empresário vai a US$ 205,6 bilhões, atrás somente de dono da Louis Vuitton. Acordo com Baidu, na China fez papéis da montadora subirem

Com as ações da Tesla fechando com ganho de 15,31% nesta segunda-feira, a US$ 194,05, o CEO da companhia, Elon Musk, viu sua fortuna engordar US$ 14,5 bilhões — alta de 7,59% —, totalizando US$ 205,6 bilhões em patrimônio, segundo lista de bilionários da Forbes.

Guerra de preços:

Entenda:

De acordo com o ranking, durante a manhã, Musk já havia ultrapassado o fundador da Amazon, Jeff Bezos, o qual soma US$ 198,9 bilhões de riqueza.

Ambos, porém, estão atrás de Bernard Arnault, responsável pelo grupo de luxo LVMH (Moët Hennessy Louis Vuitton), que inclui marcas que vão da própria Louis Vuitton até Sephora, passando por Dior, Givenchy e Tiffany & Co. Mesmo tendo perdido US$ 3,4 bilhões no dia, Arnault acumula US$ 210,1 bilhões.

Negócio com a China

Investidores estão otimistas com as perspectivas da empresa fabricante de carros elétricos depois da , abrindo caminho para a Tesla introduzir seus veículos com direção autônoma no maior mercado automotivo do mundo.

A montadora americana fará uma parceria com a gigante chinesa de buscas Baidu para implantar uma tecnologia de mapeamento e navegação para dar suporte ao que a empresa chama de Full-Self Driving ou FSD, sistema usado em direção autônoma de veículos.

A participação da Tesla no mercado automotivo da China chegou a 10,5% no primeiro trimestre do ano passado, de acordo com cálculos da Bloomberg baseados em dados da Associação de Carros de Passageiros da China.

Os sistemas avançados de auxílio ao motorista para direção autônoma estão se tornando cada vez mais comuns por lá, com muitos participantes locais, incluindo a Xpeng e a Xiaomi, investindo nessa área. No caso da Tesla, porém, o sistema reúne recursos que continua exigindo supervisão constante do motorista, o que não faz dos carros 100% autônomos.

A obtenção do sinal verde para o FSD na China pode ajudar a Tesla a recuperar algum terreno perdido.

 

Artigo anterior‘Financial Times’ assina acordo para licenciar conteúdo para OpenAI treinar o ChatGPT
Próximo artigoApós viagem surpresa à China, Elon Musk fecha acordo estratégico para Tesla