Musk desfaz acordo sobre uso de carregadores elétricos da Tesla por outras montadoras

16

Além de comprometer parcerias já em andamento, decisão pode prejudicar a campanha de Joe Biden à reeleição

O bilionário desfez um acordo para que os carregadores de veículos elétricos da fossem utilizados por outros fabricantes de automóveis, prejudicando a agenda de veículos elétricos do presidente dos EUA, . O acerto havia sido comemorado pela Casa Branca no início do ano passado,

Guerra de preços:

Entenda:

Na semana passada, Musk decidiu eliminar quase toda a equipe do Supercharger na Tesla, conforme informou uma fonte à Bloomberg News na terça-feira. O CEO não confirmou publicamente a mudança, nem ofereceu uma justificativa, mas disse que a empresa irá desacelerar a expansão de sua rede de carregamento.

Além de potencialmente comprometer parcerias em desenvolvimento com outros fabricantes de automóveis que buscam usar a extensa rede de carregadores da Tesla, outra consequência pode ser minar o impulso dos veículos elétricos de Biden, em plena campanha de reeleição. Donald Trump, o mais provável candidato do Partido Republicano, vem atacando repetidamente os carros elétricos e já falou em “banho de sangue” para a indústria automobilística se não for eleito.

Créditos fiscais destinados a fomentar uma indústria doméstica de fabricação desses veículos e baterias foram um elemento-chave do projeto de lei climática assinado por Biden, a Lei de Redução da Inflação de 2022. Seu governo também está distribuindo US$ 7,5 bilhões para carregadores de veículos elétricos, por meio de programas estabelecidos pela Lei de Infraestrutura Bipartidária de 2021.

“Na construção de nossa rede de carregamento de veículos elétricos, temos que garantir que o maior número possível de carregadores funcione para o maior número possível de motoristas. Para isso, Elon Musk abrirá uma grande parte da rede da Tesla para todos os motoristas”, escreveu Biden no X (antigo Twitter) em fevereiro de 2023. “Isso é importante e fará uma grande diferença.”

Um negócio sólido

No fim do primeiro trimestre, a Tesla contava com 6.249 supercarregadores e mais de 57 mil conectores nos Estados Unidos. É mais do que todas as outras empresas juntas, segundo a consultoria BloombergNEF.

A redução da equipe da equipe de supercarregadores, com cerca de 500 pessoas, coloca em dúvida se o governo Biden alcançará o objetivo de construir uma rede nacional de meio milhão de carregadores. Entre os demitidos estava Rebecca Tinucci, diretora sênior da Tesla, que desempenhou um papel fundamental na formação de parcerias com outras montadoras.

As demissões deixaram fabricantes de automóveis como General Motors, Ford Motor e Rivian Automotive em uma situação difícil em um momento crítico — quando seus clientes estavam apenas começando a ter acesso mais amplo aos plugs da Tesla nos últimos meses.

Por mais de uma década, a Tesla vinha construindo um sólido negócio de carregamento. A BloombergNEF estima que a empresa forneceu 8% da eletricidade de carregamento público demandada globalmente no ano passado. Antes da decisão de Musk, a consultoria projetava que o lucro anual da Tesla com essa divisão poderia chegar a US$ 740 milhões em 2030.

Esse nível de lucro provavelmente está fora de alcance, já que as estimativas da BNEF apontavam que a Tesla aceleraria o ritmo de instalações até o final da década. Musk havia indicado que este era o plano.

— Acreditamos fortemente em ajudar outras empresas automotivas a acelerar a revolução dos veículos elétricos — disse o CEO durante uma teleconferência de resultados em julho.

Entenda:

Rebecca Tinucci foi uma das únicas duas mulheres chamadas ao palco durante o dia do investidor da Tesla em março de 2023. Ela destacou os menores custos de implantação da indústria, dizendo que o hardware dos supercarregadores da empresa e outras linhas de produtos frequentemente eram de 20% a 70% mais baratos que as alternativas.

Uma vez que a Tesla instala um novo local de carregamento, ela também os opera “de maneira muito eficiente”, disse Rebecca, informando aos investidores que a empresa reduziu seu custo por quilowatt-hora em 40% ao longo de alguns anos.

Melhor uso da rede

Na terça-feira, Musk disse que deseja dar ainda mais ênfase ao melhor uso da rede que a Tesla já construiu, escrevendo no X que a montadora “vai se concentrar em 100% de tempo de atividade e expansão de locais existentes”.

Depois que alguns usuários do X questionaram se a empresa seguirá em frente com planos de preencher lacunas em sua rede de carregamento, Musk entrou em modo de controle de danos.

“Com certeza vai abrir”, escreveu ele sobre um local de carregamento em Montana. “Os locais em construção serão concluídos e adicionaremos supercarregadores adicionais em qualquer lugar onde houver lacunas.”

 

Artigo anteriorRelatora do Perse no Senado volta atrás, faz aceno ao governo e mantém limite do programa em R$ 15 bilhões
Próximo artigoAirbnb vai permitir hospedagens em museus em nova estratégia. Entenda