Milei apresenta, enfim, quais serão os passos para a dolarização da Argentina

Promessa de campanha do presidente, ainda vai levar tempo para o país usar o dólar como moeda corrente.

10

O presidente da Argentina, Javier Milei, reafirmou sua promessa de campanha de dolarizar a economia do país e explicou, depois de seis meses no cargo, como seu governo pretende fazer isso.

Depois de limpar o balanço do banco central— com a quitação dos passivos em moeda local — e reformar o sistema financeiro, a Argentina deve buscar o que ele chama de “livre concorrência de moedas”.

Isso significa que o peso e o dólar se tornariam ambas moedas aceitas legalmente. O peso, nessa altura, seria cotado a uma taxa de câmbio “flexível”. O Banco Central deixaria de imprimir pesos, permitindo que o dólar o substitua.

“O peso se tornará uma espécie de peça de museu e, quando se tornar muito raro, o que você acha que faremos?” disse Milei em um evento de negócios em na noite de terça-feira. “Vamos dolarizar, e o peso desaparecerá.”

Embora Milei tenha finalmente dado explicações sobre como pretende fazer a Argentina adotar o dólar como moeda corrente, a transição deve demorar.

As estratégias de Milei

Desde que assumiu o cargo, em 10 de dezembro, prometendo acabar com a anual de três dígitos e dolarizar a economia, Milei agiu rápido para reduzir os passivos do banco central, com o objetivo final de fechar a autoridade monetária.

A equipe econômica, liderada pelo ministro Luis Caputo, tomou medidas para tornar as notas do Tesouro argentino mais atraentes do que a dívida do banco central para liquidar o crescente endividamento da autoridade monetária. Um terço da dívida do banco central migrou para o Tesouro, segundo o governo.

Assim que toda a dívida for liquidada, os controles de capital serão removidos e as moedas competirão

Em paralelo, os juros básicos do país já foram cortados seis vezes, passando de 133% do início do mandato de Milei para 40% na semana passada.

Artigo anteriorJustiça libera R$ 2,3 bilhões para 141 mil aposentados e pensionistas que ganharam ações contra o INSS. Veja como consultar
Próximo artigoMetanol “verde”? Como transformar gás carbônico em combustível limpo