Melhora da trajetória da dívida deve favorecer notas de crédito do Brasil, diz Haddad

4

Ministro disse que as projeções fiscais do FMI estão “mais próximas do que parecem” dos números do governo

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse no fim da tarde desta quarta-feira (17/04) em Washington, onde participa das reuniões de primavera do FMI e Banco Mundial, que as projeções fiscais do FMI estão “mais próximas do que parecem” dos números do governo. Haddad já havia dito, mais cedo, que outro ponto importante dos dados de hoje é a trajetória da dívida.

Haddad nos EUA: Ministro diz que medidas sobre déficit zero avançam no Congresso

Contas públicas: FMI prevê aumento da dívida pública do Brasil para 86,7% do PIB em 2024 e novas altas nos próximos cinco anos

— O FMI começa a se aproximar da nossa trajetória de dívida. E a estabilidade da dívida pública depois da pandemia talvez seja uma das metas mais importantes que nós temos que perseguir — afirmou Haddad.

Ele complementou que esse indicador deve contribuir para a melhora das notas de crédito do Brasil.

— Porque essa estabilidade é que vai fazer com que as notas de crédito do Brasil subam, como já subiu o ano passado. Depois de sete anos, foi a primeira vez que nós conseguimos uma nota de crédito melhor e nós estamos confiantes que vamos continuar nessa escalada até voltar até o grau de investimento que pode ser de novo, mais uma vez, um divisor de águas para os investimentos diretos estrangeiros no Brasil — disse o ministro.

O ministro da Fazenda reiterou que o cumprimento das metas está diretamente relacionado às decisões que o Congresso vai tomar nos próximos dias. Haddad disse também que aguarda “provável decisão” que o Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a questão da reforma da Previdência.

(*Especial para O GLOBO)

 

Artigo anteriorFortuna do bilionário mais rico do mundo aumenta US$ 5,7 bi em apenas um dia
Próximo artigo+Milionária sorteia prêmio de R$ 173 milhões nesta quarta-feira; confira os números