Luxo vertical: tendência de edifícios assinados por grifes globais chega a João Pessoa

98
Setai Towers by Pininfarina

A tendência de edifícios assinados por marcas e grifes famosas vem ganhando cada vez mais espaço no mercado, especialmente em cidades onde o luxo imobiliário já é uma realidade, como Miami, Nova Iorque, Londres, Dubai, Los Angeles, entre outras, agora também em algumas cidades no Brasil. E João Pessoa não ficou para trás. A capital já presenciou o lançamento do primeiro cobranding  imobiliário com nada mais nada menos que uma das mais prestigiadas casas de design automotivo do mundo, a Pininfarina, que desde a década de 1950 colabora com a icônica marca de carros esportivos Ferrari, lançando os lendários 250GT, Testarossa e a Enzo, só para dar alguns exemplos da força que o escritório tem em definir padrões de excelência em design mundo afora.  

Segundo Pedro Morais, sócio da consultoria imobiliária Plano 83, o Setai Residences Design by Pininfarina, empreendimento do Grupo Setai, já é uma realidade quando muitos acreditavam que este conceito demoraria a chegar na cidade, inclusive, as obras serão iniciadas em breve. Pois bem, como revela Pedro, um projeto dessa natureza também mostra a dimensão que a capital paraibana está tomando em termos de visibilidade e potencial do setor, atraindo olhares de investidores, compradores de alto padrão e, claro, de outras parcerias para o cobranding imobiliário. Pedro Morais conta em primeira mão ao Paraíba Business que já existe, inclusive, prospecção da marca Porsche para o desenvolvimento de outro empreendimento imobiliário na cidade nesta mesma concepção.   

Mercado sem crise

Esse fenômeno envolve parcerias entre incorporadoras imobiliárias e nomes globais renomados da moda, automóveis e redes hoteleiras, como Versace, Giorgio Armani, Porsche, Bentley, Pininfarina, Ritz-Carlton e Four Seasons. Esses projetos residenciais de marca estão estimados a crescer 12% anualmente até 2026, com mais de 324 desenvolvimentos em andamento em mais de 52 países, de acordo com pesquisa realizada pela consultoria britânica Knight Frank.

O apelo passa pelo prestígio associado a essas marcas de luxo conhecidas e pelas  características únicas que acompanham os projetos. Por exemplo, alguns edifícios oferecem vagas de estacionamento privativas dentro dos apartamentos, acessadas por elevadores especiais para veículos. Um exemplo é a Porsche Design Tower na Flórida, onde as unidades começam em quatro  milhões  de dólares, podendo chegar a 15 milhões (aproximadamente 76 milhões de reais). Outro projeto dentro desse conceito é o Bentley Residences Miami, que terá sua grande inauguração no próximo ano, com unidades a partir de 6,8 milhões de dólares (cerca de 35 milhões de reais). No entanto, acomodar projetos de grande escala como esses requer que as cidades permitam estruturas altas devido ao seu tamanho; caso contrário, torna-se desafiador construí-los.

Essa tendência já chegou a Balneário Camboriú (SC), uma cidade conhecida por seus arranha-céus que quase alcançam as nuvens. Exemplos notáveis incluem o Yachthouse, projetado pela Pininfarina com 81 andares, ganhando popularidade após o astro do futebol Neymar adquirir uma de suas unidades. Da mesma forma, outra colaboração da Pininfarina chamada Heritage, construída em parceria com a Cyrela, se destaca em São Paulo por meio dos detalhes inspirados na herança das corridas italianas, incluindo janelas de vidro cortado que sugerem alta velocidade e corredores iluminados que lembram pistas de Fórmula 1. 

Então, por que essa união entre imóveis e marcas de consumo? Simplificando, as empresas não podem mais se dar ao luxo de se limitar a produtos específicos como carros, roupas ou qualquer outra coisa. As paisagens urbanas atraem atenção, tornando a vinculação desses elementos à habitação uma estratégia inteligente e atraente. Como resultado, o mercado brasileiro já desenvolve inúmeros projetos utilizando  essa estratégia de cobranding com grifes famosas de luxo, como o edifício emoldurado pela celebrada loja de móveis paulistana Artefacto em parceria com a incorporadora local Helbor, e outro com a marca de hotel de luxo W da Marriott International em São Paulo. Isso porque os hotéis oferecem e garantem qualidade de serviço de primeira linha dentro de condomínios gerenciados, criando uma situação vantajosa para todos os envolvidos – incorporadoras, marcas e aqueles que acertam na escolha.

Com informações da Revista Veja nº2894 e apuração do Paraíba Business

Artigo anteriorParaíba tem a maior projeção do PIB em 2024 entre os estados
Próximo artigoFMI aumenta previsões de crescimento da China para 5% em 2024