Lufthansa deverá devolver R$ 4 bilhões por cancelamentos de voos durante pandemia, nos EUA

KLM e South African Airways estão entre as companhias que fecharam acordo com Departamento de Transporte

14

O Departamento de Transporte (DoT) dos Estados Unidos conseguiu fazer com que três companhias aéreas, em particular o grupo alemão Lufthansa, reembolsem cerca de US$ 1 bilhão, o equivalente aproximadamente R$ 5 bilhões, a passageiros por cancelamentos ou modificações de voos durante a pandemia de covid-19.

A pasta detalhou nesta segunda-feira (3) em um comunicado que a Lufthansa aceitou restituir US$ 775 milhões (R$ 4 bilhões) e pagar uma multa de US$ 1,1 milhão (R$ 5,7 milhões), enquanto sua concorrente KLM pagará US$ 113,3 milhões (R$ 593 milhões) e também uma multa de US$ 1,1 milhão.

“A Lufthansa efetuou todos os reembolsos que tinha que fazer. O atraso no pagamento, sancionado pelo DoT, deve-se somente ao nível historicamente único dos reembolsos durante a pandemia de covid”, indicou à AFP um porta-voz da companhia.

A South African Airways, por sua vez, aceitou pagar US$ 15,2 milhões (R$ 79,6 milhões) e uma multa de 300.000 dólares (R$ 1,5 milhão).

“Quando um voo é cancelado ou modificado de forma importante, não deveria ser necessário lutar com a companhia para obter o reembolso do dinheiro”, destacou o secretário de Transporte dos Estados Unidos, Pete Buttigieg, citado em comunicado.

Artigo anterior123 Milhas cria site para orientar consumidores após determinação da Justiça
Próximo artigoMantega diz que foi sondado por governo para conselho da Braskem