Lamborghini Revuelto x Bugatti Tourbillon: duelo de híbridos promete transformar o mercado de supercarros

Com motores com mais de 1.000 cv, os veículos ultrapassam os 340 km/h e custam, juntos, cerca de R$ 26 milhões

8
Bugatti Tourbillon e Lamborghini Revuelto — Foto: Reprodução

A Lamborghini anunciou em março de 2023 o lançamento do Revuelto, seu primeiro supercarro híbrido pug-in, sucesso de vendas e responsável por fazer a marca italiana ultrapassar sua capacidade de produção até 2026. O mercado acreditava que o veículo seria soberano no setor por muito tempo, no entanto, há poucos dias a Bugatti surpreendeu com o lançamento do Tourbillon, primeiro veículo construído após parceria com a montadora Rimac.

Os modelos são exemplos da mudança de curso que as principais montadoras do planeta estão vivendo. Cada vez mais o mercado de automóveis vem exigido ideias mais sustentáveis e o setor de supercarros se mostra atento a nova demanda. Nos últimos anos, modelos como Aston Marin Valhalla, McLaren Artura e Ferrari SF90 foram destaques de vendas. No entanto, a chegada do Revuelto e do Tourbillon, promete uma mudança no cenário.

Veja abaixo os detalhes que transformam a Lamborghini Revuelto e o Bugatti Tourbillon em veículos tão especiais:

Lamborghini Revuelto

Este é o modelo encarregado de substituir o Aventador, clássico modelo da marca italiana. Assim, a Lamborghini buscou inspiração no antecessor, mas realizou mudanças significativas em potência, desempenho e tecnologia — começando com um motor V12 combinado com três elétricos. Somados a eles, um câmbio de oito velocidades e uma estrutura monocoque mais leve.

Assim, o Revuelto entrega uma potência total de 1.001 cv, capazes de fazer o modelo acelerar de 0 até 100 km/h em menos de 2,5 segundos e atingindo uma velocidade máxima superior a 350 km/h. O carro foi projetado para usar a potência elétrica (cerca de 187 cv) para um impulso inicial antes do motor v12 agir, o que proporciona uma integração mais suave entre os sistemas elétrico e mecânico.

O veículo é desenvolvido com uma estrutura monocoque de carbono, 10% mais leve e 25% mais rígida que a do Aventador, sendo complementado por uma subestrutura frontal de carbono e uma traseira de alumínio, o que deixa o design com menos soldas.

A suspensão dele também chama atenção por ser semi-ativa, o que ajuda na condução, principalmente na estrada. E os freios de cerâmica de carbono, com pinças de dez pistões na frente e quatro pistões atrás, além de um sistema de frenagem regenerativa, dão maior sensação de segurança.

Ainda vale destacar que, a bateria de 3.8 kWh do Revuelto pode ser carregada em até 30 minutos em um carregador de 7kW e o seu preço inicial está em aproximadamente R$ 3 milhões.

Bugatti Tourbillon

Após o Chiron sair de linha e a Bugatti anunciar uma fusão com a montadora croata Rimac, o mercado de supercarros estava na expectativa do que os franceses iriam anunciar de novidade no setor automobilísticos. Dessa vez, com o lançamento do Tourbillon, primeiro híbrido da marca.

O nome é inspirado em um dos mecanismos mais sofisticados da relojoaria, responsável por fazer os relógios mostrarem a hora correta, sem serem impactados pela gravidade. Assim, a estética do novo modelo da Bugatti também acompanha a ideia e apresenta detalhes que se assemelham aos relógios mais elegantes e belos.

Debaixo do capô, o Tourbillon está equipado com um motor de 16 cilindros, aspirado, que gera 1.000 cv de potência e somado a três elétricos, que juntos, oferecem mais 800 cv. A potência combinada permite o cupê atingir os 100km/h em apenas dois segundos e à velocidade máxima de 445 km/h em menos de 30 segundos.

Quanto ao desgin, ele ainda lembra bastante o seu antecessor Chiron, mas com uma frente mais estreita e altura mais baixa, se mostra mais agressivo e com personalidade. Mas o interior do veículo é um dos pontos que mais chamam atenção dos fãs, pois a tecnologia elétrica dá espaço para um sistema quase totalmente mecânico.

O painel de instrumentos é feito com alumínio, titânio, rubi e safira, seguindo os padrões de um relógio de luxo. Além disso, os conta-giros que marcam a entrega de potência dos motores elétricos e a combustão são independentes.

No entanto, os interessados deverão ter paciência, porque por enquanto foram anunciados 250 carros e especula-se que a maioria já foi vendida, tendo suas unidades entregues apenas em 2026. Por fim, o Tourbillon ainda chama atenção pelo preço inicial de aproximadamente R$ 21 milhões.

Artigo anteriorDólar fecha em R$ 5,51, maior valor em dois anos e meio
Próximo artigoApós dúvida sobre alcance da taxa das blusinhas, governo vai editar MP para garantir isenção de medicamentos