INSS é condenado a pagar R$ 5 mil a segurada por extravio da carteira de trabalho

Pedido de aposentadoria da trabalhadora foi atrasado em 11 anos após documento sumir

7
Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) (Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) foi condenado a indenizar em R$ 5 mil uma segurada que perdeu a Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) extraviada pelo órgão. O desaparecimento do documento fez o pedido de aposentadoria da trabalhadora atrasar em mais de dez anos.

O caso aconteceu na cidade de Mauá, na Região Metropolitana de São Paulo. A autora requerimento do benefício em novembro de 2008, e a CTPS ficou com o INSS. Ela argumenta que, no decorrer do processo administrativo, o documento foi extraviado. Com isso, a aposentadoria só foi concedida em 2019.

A segurada levou o caso à Justiça. Na primeira instância, a Justiça Federal determinou que ela fosse indenizada em R$ 5 mil, mas o INSS recorreu alegando ausência de caracterização do dano moral.

O caso, então, chegou ao Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3). Ao analisar o caso, os magistrados afirmaram que a CTPS é documento fundamental para o trabalhador, pois contém registro do histórico laboral, e afirmaram que o poder público tem o dever legal de assegurar a integridade de pessoas ou coisas sob sua guarda, proteção ou custódia.

Ao confirmar a sentença, a Sexta Turma seguiu entendimento no sentido de que o extravio do documento não constitui mero aborrecimento, pois pode acarretar risco a garantia dos direitos trabalhistas.

“Demonstrado o dano moral sofrido pela parte autora pelo extravio de sua CTPS, bem como o nexo causal entre a conduta desidiosa e o prejuízo suportado, mostra-se devida a condenação”, destacou o acórdão.

Artigo anteriorGoverno faz acordo para discutir autonomia financeira do BC sem transformação em empresa pública
Próximo artigoAnvisa aprova projeto-piloto para bula digital de medicamentos