Haddad se reúne com Lula no Planalto no dia da votação da Reforma Tributária e após anunciar corte de R$ 25,9 bilhões

Regulamentação deve ser analisada nesta quarta no plenário da Câmara

8
Luiz Inácio lula da silva, presidente da república e Fernando Haddad, ministro da Fazenda

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad se reúne com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na manhã desta quarta-feira. O encontro, que não estava previsto na agenda, acontece em meio a votação da reforma Tributária, que deve ocorrer nesta quarta feira, e uma semana após o governo anunciar um corte de R$ 25,9 bilhões nas despesas obrigatórias.

A agenda do ministro prévia uma reunião com o presidente do Banco XP, José Berenger entre às 9h e 10h. No entanto, Haddad foi visto saindo ministério da Fazenda às 9h15, para uma reunião com Lula no Palácio do Planalto, segundo interlocutores do ministro.

Lula voltou para Brasília na noite desta terça-feira após ir para cúpula do Mercosul, no Paraguai, na segunda-feira e seguir para a Bolívia na terça.

A reunião desta quarta acontece em dia decisivo para regulação da Reforma Tributária. A Câmara dos Deputados deve votar hoje o primeiro texto que regulamenta a Reforma Tributária, com detalhes sobre os futuros Imposto sobre Bens e Serviços (IBS) e a Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS).

A votação prevista para hoje foi viabilizada pela aprovação, ontem, do regime de urgência para o projeto.

O encontro entre o presidente e ministro da Fazenda também ocorre uma semana após o governo anunciar um corte de R$ 25,9 bilhões nas despesas obrigatórias que foi definido após reunião entre Lula e secretários da Junta de Execução Orçamentária (JEO) na última quarta.

O anúncio, que ficou marcado também pelas declarações de compromisso com o arcabouço fiscal, aconteceu em um contexto de desconfiança do mercado de que o governo estivesse comprometido com a responsabilidade fiscal, o que gerou turbulência no cenário econômico.

Artigo anteriorOito universidades do Nordeste se destacam em ranking internacional de produção científica
Próximo artigoReforma Tributária: população de baixa renda terá devolução total de imposto sobre energia, água e esgoto