Grupo Volkswagen revisa metas de eletrificação e redireciona investimentos

Além da Volkswagen, outras grandes montadoras, como Ford, Mercedes-Benz e Aston Martin, também estão ajustando suas estratégias de eletrificação

38
Volkswagen retoma motores de combustão. (Foto: Andreas Praefcke/Wikimedia Commons)

O Grupo Volkswagen está revisando suas metas de eletrificação devido à demanda do mercado. Inicialmente planejando que 80% de suas vendas fossem de carros elétricos até 2030, a montadora agora está redirecionando parte de seu orçamento para a renovação dos motores de combustão. Essa mudança de estratégia foi anunciada pelo diretor financeiro e de operações do grupo, Arno Antlitz, durante um evento em Munique.

Recentemente, a Volkswagen anunciou que uma parte significativa do orçamento previamente designado para a digitalização e eletrificação será realocada para a modernização dos motores de combustão. Essa decisão foi revelada por Arno Antlitz, diretor financeiro e de operações do Grupo Volkswagen, durante um evento em Munique organizado pela Reuters.

Agora, a Volkswagen destinará 60 bilhões dos 180 bilhões de euros alocados para a próxima geração de veículos elétricos ao desenvolvimento de motores de combustão. Antlitz ressaltou que, apesar da crescente importância dos veículos elétricos, os motores de combustão ainda possuem relevância para muitos consumidores.

Apesar dessa revisão, a Volkswagen continua comprometida com o lançamento de novos modelos elétricos. O tão esperado ID.2 All, por exemplo, continua nos planos da montadora, embora o seu lançamento tenha sido adiado para 2026, juntamente com outros veículos elétricos de menor custo. No entanto, a mudança completa para a eletrificação total parece estar mais distante.

Essa decisão da Volkswagen reflete uma tendência mais ampla na indústria automotiva, que alguns críticos interpretam como um retrocesso nas políticas de sustentabilidade. Marcas como Bugatti, Lamborghini e Porsche estão explorando combustíveis sintéticos como uma forma de manter a viabilidade dos motores de combustão. Por exemplo, a Porsche está investindo em e-fuels no Chile, enquanto a Bugatti está considerando a instalação de postos de abastecimento de combustível sintético nas residências de seus clientes.

Além da Volkswagen, outras grandes montadoras, como Ford, Mercedes-Benz e Aston Martin, também estão ajustando suas estratégias de eletrificação. A invasão de veículos elétricos chineses no mercado europeu e as normas de emissões cada vez mais rigorosas estão pressionando essas empresas a repensar seus planos. A Ford, por exemplo, decidiu adiar suas metas de se tornar totalmente elétrica na Europa até 2030.

Artigo anteriorNinguém acerta dezenas da Mega-Sena, e prêmio acumula para R$ 40 milhões
Próximo artigoGoogle anuncia que dados pessoais podem ser removidos dos resultados de busca
Redação
O Paraíba Business é um portal de notícias profissional focado em economia e negócios, independente e não partidário. Seu propósito é produzir conteúdos relevantes e se aproximar ao máximo da verdade dos fatos para informar e contribuir com nossos leitores de maneira transparente.