Focus: mercado piora projeção para inflação e juros. Analistas agora preveem só um corte da Selic em 2024

Estimativa para o IPCA este ano está agora em 3,88%, contra 3,86% na semana passada

7

A Pesquisa Focus, do Banco Central, divulgada semanalmente, mostrou nesta segunda-feira que o mercado projeta a Selic ao final deste ano em 10,25%, ante 10% no levantamento anterior. Isso significaria apenas mais um corte de 0,25 ponto percentual no atual ciclo de flexibilização da taxa básica de juros.

As projeções mais pessimistas refletem o aumento das incertezas no cenário externo e as preocupações com o equilíbrio fiscal no Brasil, especialmente após as chuvas no Rio Grande do Sul.

O economista-chefe do Goldman Sachs para a América Latina, Alberto Ramos, destaca que a desancoragem das expectativas de inflação no curto prazo refletem a percepção no mercado de que as metas fiscais estabelecidas pelo governo não serão cumpridas e que as autoridades fiscais e monetárias estão inclinadas a acomodar uma inflação acima da meta.

“As expectativas de inflação de médio prazo acima da meta (2026 e 2027) podem contaminar e endurecer os mecanismos de formação de preços, tornando ainda mais custoso para o Banco Central entregar a inflação na meta”, ele afirmou, em nota.

A média das previsões para o IPCA em 2024 subiu de 3,86% para 3,88%, ficando ainda mais acima do centro da meta, de 3%, estipulado pelo Banco Central – há uma margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais e para menos.

Para 2025, a estimativa avançou de 3,75% para 3,77%. Já para 2026, a projeção aumentou de 3,58% para 3,60%. Em 2027, a expectativa se manteve em 3,50%.

Na manhã desta segunda, o mercado repercutia os números da Pesquisa Focus, com a curva de juros apontando para uma Selic de 10,40% em janeiro de 2025. Os juros futuros com vencimento em janeiro de 2026 subiam de 10,79% para 10,84%, e os com vencimento em janeiro de 2027 subiam de 11,14% para 11,20%. Os contratos com vencimento em janeiro de 2029 estavam em 11,70%, ante 11,64% no último fechamento.

Artigo anteriorTerra do Malbec, Mendoza, na Argentina, quer agora explorar a mineração; entenda
Próximo artigoMover: Padilha diz que ‘não existe compromisso de sanção por parte do governo’ se texto for aprovado com ‘jabutis’