FGTS: saque-aniversário poderá ser usado na compra de passagens nacionais

Companhia lançou uso de recursos do Fundo em parceria com o banco digital Digio, do Bradesco. Taxa de juros é de 1,29% ao mês

24
Aplicativo Meu FGTS: saldo pode ser consultado pelo celular (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Trabalhadores com recursos no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) poderão usar parte do saldo das contas na compra de passagens aéreas da Azul. Na prática, a companhia – numa parceria com o banco Digio, braço digital do Bradesco –, oferece o acesso a uma linha de crédito que antecipa até 10 parcelas da retirada anual para a compra de bilhetes aéreos, ou seja, 10 anos do saque-aniversário. A taxa de juros é de a partir de 1,29% ao mês.

A nova opção de pagamento foi lançada nesta quinta-feira (dia 6), e vale exclusivamente para as compras feitas no aplicativo.

Além disso, há outras restrições. O uso dos recursos do FGTS só vale para a compra de passagens nacionais e de no mínimo R$ 400, com as taxas. Já o valor máximo dos bilhetes depende do saldo que o trabalhador tem disponível nas contas do Fundo.

Outro ponto é que a compra só pode ter um passageiro, que deve ser o titular da conta do Fundo de Garantia, e é preciso haver um intervalo maior que 28 dias entre a data da compra e a data da viagem.

Como funciona?

Para utilizar o saldo do Fundo de Garantia, o consumidor precisa primeiro aderir ao saque-aniversário e autorizar que o banco Digio acesse as informações. Essas duas operações acontecem no aplicativo do FGTS ou numa agência da Caixa Econômica Federal, que opera o Fundo.

Para ter o valor disponível no mesmo ano, o trabalhador deve fazer optar pela retirada anual até o último dia do mês de nascimento. Por isso, na Azul, a data da compra da passagem com recursos do FGTS não pode estar dentro dos 30 dias corridos que antecedem o 1º dia do mês do aniversário do cliente.

Após a solicitação de pagamento, dentro da plataforma da Azul, o processo passa por uma análise de até 24 horas pela Caixa Caso o banco estatal recuse a operação, o consumidor tem 12 horas para realizar a compra com outra forma de pagamento, como cartão de crédito ou Pix. Após esse prazo, a reserva será cancelada.

Ao optar por essa modalidade de pagamento, o cliente não fica com parcelas mensais ou dívidas a serem pagas, já que o valor é descontado diretamente do saldo do Fundo.

Esta é a primeira vez que uma companhia área aposta no uso dos recursos do FGTS para a venda de passagens, mas outras empresas do setor de turismo já aderiram a iniciativa. No fim do ano passado, a , com taxa de juros de 1,99% ao mês.

Saque-aniversário

O saque-aniversário é a modalidade que permite ao trabalhador sacar, todo ano, no mês do seu aniversário, uma parte do valor disponível nas contas do FGTS. Para quem não quer esperar o mês do aniversário, há a possibilidade de antecipação o benefício. As taxas de juros variam de acordo com a instituição financeira.

A retirada anual está disponível para trabalhadores com carteira assinada ou aqueles que têm saldo no FGTS em conta ativa ou inativa. A qualquer momento, o beneficiário pode desistir e voltar para a modalidade tradicional (saque-rescisão), que só permite a retirada em casos especiais, como demissão sem justa causa, aposentadoria, doença grave ou compra de imóveis.

Mas ao fazer a opção pelo saque-aniversário, o trabalhador fica dois anos sem poder sacar o saldo da conta no FGTS, mesmo em caso de demissão. Se for dispensado, receberá apenas a multa rescisória de 40%.

Artigo anteriorImposto de Renda: quase seis em cada dez contribuintes receberão R$ 1 mil de restituição
Próximo artigoMega-Sena acumula mais uma vez, e prêmio vai a R$ 112 milhões