Faturamento do turismo carioca cresce 12% com show da Madonna

6

Índice da Cielo aponta transporte e hotelaria como grupos que mais impulsionaram a alta

O show de encerramento da turnê da cantora , no Rio de Janeiro, não apenas atraiu , como também alavancou o faturamento do turismo carioca. Estudo realizado pela empresa de meios de pagamento Cielo mostra que houve aumento de 12,1% nas vendas do setor entre os dias 2 e 5 de maio, na comparação com igual período do ano anterior.

Quem pagou o show da Madonna?

Madonna:

Esse número é calculado de acordo com o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA), que acompanha 18 setores do varejo — entre eles, bares e restaurantes, turismo e transporte. A dinâmica de consumo é estimada através das vendas de 870 mil clientes credenciados.

A Secretaria Estadual de Turismo estima que o show recebeu cerca de 150 mil turistas e a estimativa de Em plena baixa temporada, a rede hoteleira chegou a 96% de ocupação.

Segundo a Cielo, o aumento foi impulsionado pelos segmentos de transporte e hotelaria, que acumularam, respectivamente, crescimento de 16,7% e de 10,6%.

Além disso, o faturamento do setor de Supermercados e Hipermercados subiu 6,9%. Bares e Restaurantes viram o movimento contrário, com queda de 4,4% nas vendas.

Nas redes:

No grupamento de Varejo Alimentício Especializado, houve aumento de 1,7%, influenciado principalmente pelas lojas de bebidas, onde o faturamento cresceu 19%. O setor de varejo como um todo registrou aumento de 3,3% nas vendas.

O show da Madonna aconteceu no sábado e foi o encerramento da Celebration Tour, que comemora os 40 anos de carreira da cantora. A rainha do Pop desembarcou no Brasil depois de 12 anos, para realizar o maior show da sua história.

Madonna no Rio:

— Era natural que o evento, que reuniu uma quantidade enorme de pessoas, aquecesse o Varejo, em especial aqueles segmentos ligados ao Turismo — diz Carlos Alves, vice-presidente de Tecnologia e Negócios da Cielo.

Impactos em cadeia

André Coelho, especialista em Turismo da FGV Projetos, explica que os impactos econômicos de eventos como o show da Madonna chegam, em primeiro lugar, à cadeia de turismo.

Assim, hoteis e restaurantes, por exemplo, ampliam contratações, pagam mais hora extra aos seus colaboradores e expandem estoques de produtos e alimentos, reforçando indiretamente o caixa das empresas fornecedoras.

— Um hotel com apenas metade dos quartos ocupados, por exemplo, manteria uma quantidade mínima de funcionários e não compraria tantos insumos, por conta da baixa demanda. Em eventos como esse, os quartos lotam, precisa de mais gente trabalhando, o empregador contrata reformas, aumenta o estoque do restaurante — diz Coelho.

Ele comenta que a chegada de tanta gente — além dos turistas, os trabalhadores envolvidos no evento também desembarcaram na cidade — aumenta o pagamento de impostos. Além disso, a indústria criativa normalmente gera empregos em diferentes níveis de remuneração.

Coelho afirma que Madonna chega em um momento importante, em que o turismo do Rio de Janeiro vem se recuperando e fortalecendo sua imagem de ícone nacional e internacional do setor:

— Foi um momento importante para mostrar como, unindo forças das equipes de segurança, urbanismo, saúde e gestão da cidade, é possível fazer um show desses. A cidade concentra uma fama (negativa) grande, sobretudo por conta das redes sociais, em que as notícias ruins se viralizam facilmente — afirma.

Para esse show, a prefeitura, junto ao governo do estado, construiu dias antes, instalou detectores de metais para encontrar objetos cortantes enterrados na praia e usou câmeras de reconhecimento facial.

Foram apreendidos 160 objetos perfurantes nos pontos de bloqueio espalhados nas proximidades da praia. Além disso, houve registro de 213 ocorrências, resultando em 38 pessoas encaminhadas para delegacias.

Para atender possíveis emergências de saúde, um hospital de campanha e um heliponto foram instalados no grupamento do Corpo de Bombeiros, na praia.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, o SAMU recebeu 1,8 mil ligações relacionadas a quedas e problemas decorrentes da ingestão de bebidas alcoólicas. As equipes realizaram 600 atendimentos durante o show.

Para além da cidade do Rio de Janeiro, Vitor de Pieri, professor do Departamento de Turismo da Uerj, afirma que a chegada de Madonna passa uma boa imagem do Brasil:

— Uma das atividades que promovem o turismo, especialmente em grandes centros urbanos, são os eventos. E um evento dessa magnitude, uma personagem como ela, certamente movimenta vários setores da economia, gerando uma boa imagem do Brasil, como — afirma Di Pieri.

 

Artigo anteriorApós desistência da Adnoc, Prates diz que aguarda outras ofertas de compradores para a Braskem
Próximo artigoShein e Shoppe: Relator de projeto de benefício para carros propõe fim da isenção de imposto de importação