Emenda do MDB, PSD e PT vai retomar taxação das blusinhas no plenário do Senado

Relator do projeto Mover, Rodrigo Cunha (Podemos-AL) havia retirado o tema da proposta

8

Líderes da base do governo apresentaram uma emenda de plenário para retomar a taxação de de compras internacionais de até US$ 50, que atinge sites chineses como Shein e Shoope. O tema foi incluído num projeto de lei sobre incentivos para carros (Mover) na Câmara, mas o senador Rodrigo Cunha (Podemos-AL), retirou esse ponto no Senado. O projeto estabelece uma alíquota de 20% para imposto de importação de compras de até US$ 50.

O líder do MDB, Eduardo Braga (AM), disse que o destaque irá retomar o trecho de taxação dos importados conforme o texto da Câmara.

– Vamos votar o relatório do Rodrigo Cunha, ressalvados os destaques. O nosso destaque retorna o texto da Câmara nessa parte – afirmou ao Globo.

Braga ainda disse em entrevista a Globonews que o governo Lula precisa melhorar a articulação política, para não se surpreender novamente.

– É preciso melhorar as conversas. As vezes um fator local interfere no nacional e é necessário diálogo – disse Braga sobre a articulação do governo – disse.

LEIA MAIS: Taxa das blusinhas será retirada de projeto de incentivo a veículos sustentáveis, diz relator

O assunto de “taxação das blusinhas” , como ficou conhecido, dividiu até mesmo a bancada governista nas últimas semanas. A isenção vinha desagradando aos varejistas brasileiros, que se queixam de concorrência desequilibrada com importados. A Receita Federal defendeu manter a isenção para compras até esse valor, já que existe hoje o programa Remessa Conforme.

A isenção também era defendida por deputados do PT, mas parte da base do governo, principalmente parlamentares mais próximos ao ministro da Fazenda, Fernando Haddad, avaliavam que a retomada da taxação era necessária não só para igualar os sites estrangeiros ao varejo nacional, mas também como instrumento de arrecadação.

Artigo anteriorJustiça dá 24 horas para governo esclarecer leilão de arroz importado: entenda os próximos passos
Próximo artigoConstrutora Bauten: um caso de amor com o Nordeste e a inovação