Defasagem no preço da gasolina praticado pela Petrobras já chega a 19%

Com alta do dólar e do petróleo, diferença entre o valor cobrado no Brasil e no exterior é o maior desde meados de abril

25
Gasolina subiu 1,9% no período de coleta (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Com a forte valorização do dólar este ano – a moeda americana já subiu mais de 15% em 2024 – e a alta na cotação do petróleo, a gasolina vendida nas refinarias do Brasil já está em média 18% mais barata do que o preço praticado no exterior, segundo relatório diário da Abicom, a associação que reúne os importadores de combustíveis no Brasil.

A defasagem só não é maior porque a Acelen, dona da refinaria de Mataripe, na Bahia, pratica preços um pouco mais próximos da média internacional. Nas refinarias da Petrobras, a defasagem em relação à cotação da gasolina no exterior chega a 21%. E, na média dos preços praticados pela Petrobras, o valor está 19% inferior ao do mercado internacional.

No diesel, a defasagem média de preços no Brasil é de 16% e de 17% nos polos da Petrobras.

Veja abaixo a defasagem no preço da gasolina do tipo A nos principais polos de refinarias do país pesquisados pela Abicom:

  • Itaqui (Petrobras): 19%
  • Suape (Petrobras): 19%
  • Paulínia (Petrobras): 21%
  • Auracária (Petrobras): 21%
  • Itacoatiara (Petrobras): 17%
  • Aratu (Acelen): 9%
  • Média do país: 18%
Artigo anteriorCampina Grande: 38º Salão do Artesanato chega ao fim ultrapassando R$ 2,6 milhões em vendas
Próximo artigoValor médio por m² quadrado de imóveis ultrapassou R$ 9 mil, pela 1ª vez