Cybertruck: Tesla faz recall de milhares de ‘picapes do futuro’ por risco de acelerador ficar preso

4

Lançado no fim do ano passado, carro pode custar até US$ 96,3 mil — aproximadamente R$ 505 mil

Companhia de carros elétricos do bilionário Elon Musk, a Tesla emitiu um recall de milhares de unidades de sua “picape do futuro”, Cybertruck, por questões de segurança. De acordo com a BBC, a medida afeta 3.878 veículos, fabricados entre novembro de 2023 e abril de 2024. O motivo é o risco de pedais do acelerador ficarem presos num acabamento interno do carro e, com isso, aumentarem o risco de colisões.

Lançado no fim do ano passado, o Cybertruck de Elon Musk pode custar até US$ 96,3 mil — aproximadamente R$ 505 mil, na cotação atual —, e foi anunciado pelo seu criador como uma picape do futuro, de aço inoxidável.

Líder de vendas: Como o carro elétrico da Tesla desbancou a Toyota e se tornou o 1º veículo mais vendido no mundo

Futuro: Carro elétrico vai ser churrasqueira e escritório, prevê executiva da BYD

Proprietários do novo carro da Tesla relatam o surgimento de manchas de ferrugem na lataria do veículo elétrico. Os primeiros modelos do veículo foram entregues aos compradores em dezembro de 2023. Dois meses depois, proprietários já têm identificado manchas de cor alaranjada, similiares à ferrugem, na carroceria.

Segundo a CBS MoneyWatch, alguns dos motoristas contam ter visto as manchas após o carro ter sido exposto à chuva. Procurada, a Tesla ainda não respondeu à rede americana sobre as queixas dos compradores.

Em um fórum para usuários do Cybertruck, na internet, um dos proprietários do carro publicou fotos das manchas. De acordo com o consumidor, o veículo pegou chuva por dois dias seguidos.

Lançamento do Cybertruck

Quase quatro anos depois de Elon Musk ter revelado a picape de estreia da Tesla, a empresa construiu o seu primeiro Cybertruck em 2023. Pelo Twitter, na época, a montadora compartilhou uma foto do desenvolvimento do veículo elétrico.

A imagem mostrava dezenas de trabalhadores com coletes de segurança e capacetes ao redor do Cybertruck. Quando Musk revelou pela primeira vez o protótipo da caminhonete, em novembro de 2019, o plano era que a produção começasse dois anos depois.

Após o lançamento, o Cybertruck já foi alvo de um recall da Tesla, que afetou todos os Model X fabricados entre 2016 e 2024, todos os Model S fabricados entre 2012 e 2024, Model 3 fabricados entre 2017 e 2023, Model Y fabricados entre 2019 e 2024 e os Cybertruck com software até a versão 2023.44.9.1.

Em maio, durante a reunião anual com acionistas, o empresário moderou as expectativas sobre a rapidez com que a Tesla iria aumentar a produção do veículo. A justificativa era a de que o design do Cybertruck apresentava desafios. Segundo ele, o corpo da caminhonete será de aço inoxidável, o que pode ser caro e mais difícil de moldar e soldar.

— Vai ser difícil tornar o custo acessível porque é um carro novo e um novo método de fabricação. Em termos gerais, comparada à taxa de produção de todos os outros carros que fabricamos, a produção será pequena. Mas ainda é muito legal — disse Musk.

Concorrentes saíram na frente

Inicialmente, a Tesla informou que venderia o Cybertruck em três configurações distintas. As opções iriam variar de modelos com 400 a 800 quilômetros de alcance e três faixas de preço: US$ 39,9 mil, US$ 49,9 mil e US$ 69,9 mil. Em outubro de 2021, no entanto, a empresa removeu os preços e especificações de sua página de pedidos do Cybertruck, sem dar explicações.

Na frente: Tesla e BYD registram vendas recordes de carros elétricos

Em abril do ano passado, Musk foi questionado sobre especificações e preços do modelo. O empresário disse que a Tesla deixaria para divulgar essas informações no evento de entrega do Cybertruck, que custa de R$ 285 mil a R$ 478 mil.

A demonstração da Tesla de sua primeira picape elétrica não saiu conforme o planejado. As janelas do “vidro da armadura” estilhaçaram-se ao serem atingidas por uma bola metálica. Desde então, montadoras concorrentes apresentaram novidades no segmento. A Ford criou uma versão elétrica do seu F-150 mais vendido e a General Motors lançou a caminhonete R1T.

 

Artigo anteriorCredores aprovam plano de recuperação da Oi
Próximo artigoPetz e Cobasi anunciam fusão que cria gigante de R$ 7 bi no ramo de ‘pets’