Crescimento de 5,4% no Mercado Imobiliário Brasileiro até 2029

30

Estudo aponta que o valor de transação do mercado imobiliário pode atingir US$ 77,54 bilhões até 2029.

Uma pesquisa realizada pela Modor Intelligence projeta que o mercado imobiliário brasileiro deve crescer 5,4% até 2029, aumentando de US$ 59,61 bilhões em valor de transação em 2024 para US$ 77,54 bilhões. O estudo baseou suas projeções em análises de mercado realizadas entre 2019 e 2023.

Durante esse período, a pesquisa constatou que, após a recessão de 2020 causada pela pandemia de covid-19, o mercado imobiliário brasileiro apresentou uma recuperação significativa, especialmente no setor residencial. Nos primeiros quatro meses de 2021, no Rio de Janeiro, foram vendidas aproximadamente 13.012 casas, em comparação com 8.738 no mesmo período de 2020. Em São Paulo, foram vendidas pouco mais de 5,5 mil casas em 2021, um número semelhante ao do ano anterior.

O administrador de empresas e CEO da Quality Inteligência Imobiliária, Guilherme Romero, avalia que, para as empresas já estabelecidas, um crescimento anual de 5,4% pode impactar seguramente em 40% ou 50% de incremento no faturamento. “Estamos falando de uma demanda 30% maior em 5 anos. Em um cenário de custos de obras já não mais crescente, após as explosões da pandemia, a notícia é fantástica”.

Romero atribui esse aumento principalmente ao mercado aquecido no segmento popular, impulsionado pelo aumento no teto subsidiário e criação de novos mecanismos do Minha Casa Minha Vida. “Mesmo com a queda da Selic nos últimos meses, a tendência continua. Seguramente, os bancos aumentarão a oferta de crédito para outros produtos, tanto para consumidores finais quanto para os empreendedores nas linhas de apoio à produção. Enxergo um horizonte muito positivo”, afirma.

O levantamento também mostrou que o mercado imobiliário de luxo, com procura de propriedades com valor superior a R$ 2 milhões, registrou um aumento expressivo, subindo para 3,2% em São Paulo e para 10% no Rio de Janeiro. “O perfil do consumidor moderno mudou após a revolução digital, fazendo com que tome decisões mais seguras e mais embasadas na hora de escolher um imóvel, apoiado principalmente pelo volume de informações que possui e pela vasta oferta de empreendimentos”, diz Romero.

Fonte: Terra

Artigo anteriorInscrições para novo edital do ‘Eu Posso’ começam na quinta-feira com vagas para 120 empreendedores 
Próximo artigoDesafios na construção civil: jovens se afastam e falta de mão de obra se agrava
Redação
O Paraíba Business é um portal de notícias profissional focado em economia e negócios, independente e não partidário. Seu propósito é produzir conteúdos relevantes e se aproximar ao máximo da verdade dos fatos para informar e contribuir com nossos leitores de maneira transparente.