Companhias aéreas suspendem voos e ajustam rotas para evitar região de tensão no Oriente Médio

5

Grupo Lufthansa cancelou voos para cinco cidades da região. Já a Qantas ajustou rotas e vai fazer escalas em Cingapura para evitar local do conflito

As companhias aéreas estão suspendendo e ajustando seus voos por conta do aumento da tensão no Oriente Médio, após ataque de drones e mísseis feito pelo Irã ao território de Israel no sábado.

Combustíveis: Ataque do Irã deve elevar preço do petróleo e pressionar Petrobras por reajuste

Disputa: EUA e China travam disputa por hegemonia global em IA, em novo capítulo da corrida tecnológica

O Grupo Lufthansa – que controla as companhias Lufthansa, Austrian Airlines e Swiss Internacional Airlindes – suspendeu temporariamente os voos para diversas cidades do Oriente Médio. A empresa só retomará os voos para as cidades de Tel Aviv, Arbil e Amã na terça-feira, dia 16. Já os voos os para Beirute e Teerã foram interrompidos até quinta-feira, dia 18.

Em comunicado, o grupo afirmou ainda que continua avaliando a situação no Oriente Médio e segue em contato com as autoridades.

A Qantas, maior empresa aérea australiana, ajustou temporariamente seus voos diretos Perth-Londres para escalar em Cingapura para compensar o combustível extra necessário para redirecionar a região volátil.

 

Artigo anteriorAtaque do Irã deve elevar preço do petróleo e pressionar Petrobras por reajuste
Próximo artigoComo a tensão no Oriente Médio deve afetar Bolsa, dólar e juros? Veja o que dizem economistas