CNU: provas poderão ser feita em braile e haverá mesa específica para pessoas que usam cadeira de rodas

11

Do total, 5% ou 332 vagas são reservadas para pessoas com deficiência

O governo Lula informou nesta sexta-feira que as provas do terão mesas específicas para pessoas que usam cadeiras de rodas, textos com fontes ampliadas, bem como a possibilidade de o candidato escrever a redação em braile.

Essas e outras condições especiais valem para os cerca de 54 mil inscritos na condição de pessoa com deficiência.

No total, cerca de 2,1 milhões tiveram inscrições confirmadas. As soluções também incluem a colocação de candidatos em salas de fácil acesso, tempo adicional para conclusão do exame, entre outros. Dos candidatos com necessidades especiais 86,8%, ou seja, 47.093 pessoas, terão acesso a essas medidas de auxílio, mas farão a prova comum, como os demais concorrentes. ]

Os outros demais – a maioria com baixa visão, cegueira e/ou deficiência auditiva – receberão kits de provas específicos. Também serão disponibilizados profissionais que leem a prova para o candidato e transcritores que redigem as respostas.

Sobre a possibilidade de o candidato escrever a redação em braile, será necessário levar seu próprio maquinário e uma folha específica.

Os 21 órgãos que aderiram a esse certame vão selecionar majoritariamente candidatos de nível superior. Das 6.640 vagas previstas, 5.948 são para quem tem graduação, e 692 são de nível médio. Há salários de até R$ 22,9 mil.

Do total, 5% ou 332 vagas são reservadas para pessoas com deficiência.

 

Artigo anteriorCom aval dos vereadores de SP, o que falta para a privatização da Sabesp? Veja os próximos passos
Próximo artigoChuvas no RS: empresas suspendem produção de aço, calçados e veículos