BNDES lançará edital de estudos para descarbonização da frota marítima

33

Em evento no Rio de Janeiro, Aloizio Mercadante, presidente do Banco, anunciou que os financiamentos do Nova Indústria Brasil já alcançaram R$ 100 bilhões

O presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, anunciou nesta segunda-feira que a instituição lançará até julho um edital para realização de estudos sobre o parque industrial naval brasileiro. O objetivo do projeto é criar um panorama dos estaleiros marítimos do país e analisar a capacidade do setor para contribuir na descarbonização da frota naval brasileira.

– Queremos um diagnóstico rigoroso sobre capacidade de construção, ouvir segmentos da engenharia naval. E não repetir erros já cometidos, que não foram pequenos, mas temos uma curva de aprendizado. E o Brasil não tem como não entrar nesse segmento – disse.

Segundo ele, o país possui conhecimento no setor de biocombustíveis, e pode contribuir com relevância para a agenda:

– Dentro do biocombustível, o Brasil tem um leque. Temos uma liderança inquestionável no etanol, competitividade no hidrogênio verde, além do metanol, refino de óleo vegetal e animal.

Ele destacou ainda que a Petrobras tem papel importante nessa promoção, “porque tem grande contribuição para arrendamento e fretamento”. No início do mês, durante a crise no comando da petrolífera, o presidente do BNDES chegou a ser cogitado como futuro comandante da companhia.

O anúncio foi feito em evento na sede da instituição, no Rio de Janeiro, com a participação de outras autoridades, como o secretário geral da Organização Marítima Internacional, Arsênio Velasco, a conselheira do BNDES e ex-ministra do Meio Ambiente Izabella Teixeira, o presidente da FGV, Carlos Ivan Simonsen Leal, e o Comandante da Marinha, Marcos Sampaio Olsen.

Segundo o BNDES, a projeção para os desembolsos do Fundo da Marinha Mercante, que possui 75% da sua administração gerida pelo banco, alcançará R$ 5 bilhões em 2024, ante R$ 223 milhões no ano passado. Para o setor de óleo e gás — que envolve construção de plataformas e embarcações de apoio, módulos e descomissionamentos — a projeção é de R$ 1,6 bilhão em desembolsos, ante R$ 484 milhões em 2023.

Nova Indústria Brasil: desembolsos chegam a R$ 100 bi

Mercadante destacou ainda que os desembolsos do Nova Indústria Brasil, programa de estímulos ao setor anunciado em janeiro, alcançaram R$ 100 bilhões em março. O valor total anunciado no início do ano a ser mobilizado pelo BNDES era de R$ 250 bilhões, num total de R$ 300 bilhões.

Os valores com detalhes serão divulgados nos resultados do primeiro trimestre do BNDES, no dia 9 de maio.

O presidente da instituição de fomento ainda falou sobre o lançamento de uma linha de R$ 10 bilhões para a agricultura, lançada no último domingo, durante a Agrishow. Segundo ele, o banco já foi solicitado para renegociações com o setor do agronegócio por conta da crise climática, envolvendo secas e perdas de safras.

Segundo o FGV-Ibre, a produção do setor agropecuário no Brasil deve registrar queda de 3,4% neste ano, após salto de 16,2% em 2023.

 

Artigo anteriorBNDES lançará edital de estudos para descarbonização da frota marítima
Próximo artigoElon Musk fica 12 bi mais rico após fechar acordo estratégico com aval do governo chinês