BNDES lançará edital de estudos para descarbonização da frota marítima

7

Em evento no Rio de Janeiro, Aloizio Mercadante, presidente do Banco, anunciou que os financiamentos do Nova Indústria Brasil já alcançaram R$ 100 bilhões

O presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, anunciou nesta segunda-feira que a instituição lançará até julho um edital para realização de estudos sobre o parque industrial naval brasileiro. O objetivo do projeto é criar um panorama dos estaleiros marítimos do país e analisar a capacidade do setor para contribuir na descarbonização da frota naval brasileira.

– Queremos um diagnóstico rigoroso sobre capacidade de construção, ouvir segmentos da engenharia naval. E não repetir erros já cometidos, que não foram pequenos, mas temos uma curva de aprendizado. E o Brasil não tem como não entrar nesse segmento – disse.

Segundo ele, o país possui conhecimento no setor de biocombustíveis, e pode contribuir com relevância para a agenda:

– Dentro do biocombustível, o Brasil tem um leque. Temos uma liderança inquestionável no etanol, competitividade no hidrogênio verde, além do metanol, refino de óleo vegetal e animal.

Ele destacou ainda que a Petrobras tem papel importante nessa promoção, “porque tem grande contribuição para arrendamento e fretamento”. No início do mês, durante a crise no comando da petrolífera, o presidente do BNDES chegou a ser cogitado como futuro comandante da companhia.

O anúncio foi feito em evento na sede da instituição, no Rio de Janeiro, com a participação de outras autoridades, como o secretário geral da Organização Marítima Internacional, Arsênio Velasco, a conselheira do BNDES e ex-ministra do Meio Ambiente Izabella Teixeira, o presidente da FGV, Carlos Ivan Simonsen Leal, e o Comandante da Marinha, Marcos Sampaio Olsen.

Segundo o BNDES, a projeção para os desembolsos do Fundo da Marinha Mercante, que possui 75% da sua administração gerida pelo banco, alcançará R$ 5 bilhões em 2024, ante R$ 223 milhões no ano passado. Para o setor de óleo e gás — que envolve construção de plataformas e embarcações de apoio, módulos e descomissionamentos — a projeção é de R$ 1,6 bilhão em desembolsos, ante R$ 484 milhões em 2023.

Nova Indústria Brasil: desembolsos chegam a R$ 100 bi

Mercadante destacou ainda que os desembolsos do Nova Indústria Brasil, programa de estímulos ao setor anunciado em janeiro, alcançaram R$ 100 bilhões em março. O valor total anunciado no início do ano a ser mobilizado pelo BNDES era de R$ 250 bilhões, num total de R$ 300 bilhões.

Os valores com detalhes serão divulgados nos resultados do primeiro trimestre do BNDES, no dia 9 de maio.

O presidente da instituição de fomento ainda falou sobre o lançamento de uma linha de R$ 10 bilhões para a agricultura, lançada no último domingo, durante a Agrishow. Segundo ele, o banco já foi solicitado para renegociações com o setor do agronegócio por conta da crise climática, envolvendo secas e perdas de safras.

Segundo o FGV-Ibre, a produção do setor agropecuário no Brasil deve registrar queda de 3,4% neste ano, após salto de 16,2% em 2023.

 

Artigo anteriorCasas Bahia faz acordo extrajudicial para repactuar dívida de R$ 4,1 bilhões
Próximo artigoBNDES lançará edital de estudos para descarbonização da frota marítima